Descubra porque Music Branding não é apenas Música Ambiente

 

 

Music Branding não é sinônimo de Música Ambiente

 

.txt por Juliana Castro, @missindieporai

 

Desde muito tempo, a música é um instrumento de comunicação de ideias, de sentimentos, de manifestações políticas. Os artistas usam essa ferramenta para captar os sinais de uma sociedade e transformá-los em canções.

 

Como uma parte tão importante na essência de todo ser humano, o marketing sensorial enxergou o poder da música como esse instrumento de transmitir também as características de identidade das marcas. E, como você pode imaginar, daí nasceram as estratégias de music branding.

 

O que é music branding? 

 

Se você é proprietário  de uma marca ou estudante de publicidade e marketing, já deve ter ouvido falar de branding. 

 

O branding é a gestão das ações relacionadas ao propósito, valores, identidade e posicionamento de uma marca que visa torná-la mais desejada e positiva na mente de seus clientes e do público geral. 

 

Incluir a música nessa equação é papel do music branding - ou branding musical, que busca alcançar essa comunicação através do som.

 

No livro “Music Branding: Qual o som da sua marca?”, o produtor musical Guto Guerra explica:

 

“Nesse contexto, o Music Branding aparece como uma nova dimensão na abordagem da música no marketing, de modo que o conteúdo sonoro deixa de ser tratado como um mero complemento para uma peça publicitária para ser encarado como uma mídia em si. A diferença reside exatamente na abordagem, agora global e estratégica, com a qual as marcas passam a trabalhar a música: não mais como um suporte para outras formas de comunicação, e sim como um canal autônomo de comunicação.” 

 

 

Music branding é uma estratégia de marketing que se utiliza da música e de todos seus atributos para conseguir comunicar a identidade de uma marca de uma forma mais humana e emocional.

 

É através da música que conseguimos dizer muitas coisas em poucas palavras, muitas vezes gerando sensações até de forma inconsciente em quem ouve. 

 

Por isso, na hora de escolher uma música para tocar no ponto de venda, há  uma grande diferença entre colocar qualquer trilha para tocar e realizar uma pesquisa de identidade da marca e curadoria musical para saber quais são as músicas certas para estabelecer uma conexão emocional mais eficiente com o cliente e a marca.

 

Quando falamos de branding musical, é importante destacar que a curadoria das playlists é o diferencial. É a escolha das músicas adequadas que trará os melhores resultados para a jornada de compra do cliente na sua loja.

 

Como funciona a metodologia de Music Branding  do Bananas Music?

 

Aqui no Bananas Music temos uma metodologia exclusiva para definir a identidade musical da marca e quais músicas e artistas melhor representam as características que a empresa deseja expressar de forma sonora.

 

Começamos pela reunião com os administradores da marca e o time de marketing para coletar os insights sobre o que acreditam que funciona para a buyer persona da marca, quem é essa persona, qual o seu lifestyle e como se relaciona com a música no dia a dia. Essas informações são fundamentais para montar uma estratégia de music branding que vá além do ponto de venda.

 

Reunimos todos esses insights em um diagrama de afinidades: com base nos conceitos de afinidade, similaridade, dependência ou proximidade, geramos um mapa que nos ajuda a identificar conexões entre temas relevantes para a definição da identidade musical da marca.

 

 

Para desenhar a atmosfera musical da marca, esses insights também são organizados em moods: energia e humor, que definirão os sentimentos transmitidos pelas músicas, e tempo e popularidade, que ajuda a evitar que a playlist fique com alguma predominância indesejada de músicas muito conhecidas/desconhecidas ou músicas muito velhas/novidades.

 

E só depois de todo esse processo é que entra a curadoria musical para definir quais as estéticas sonoras combinam com as características descritas anteriormente. Dentro destas estéticas, identificamos os 10 principais artistas e suas conexões para compor o espectro musical da marca.

 

É um processo bastante complexo e a ajuda de especialistas para a construção do DNA musical da marca é essencial para garantir que a estratégia esteja de acordo com os objetivos de negócio da marca. 

 

Como utilizar o Music Branding  para ir além da música ambiente?

 

Conhecendo a identidade musical da marca, é possível propor vários projetos com a finalidade de conectar cliente e marca através da música. As aplicações mais conhecidas do ramo são as anúncios de áudio e spots comerciais e as famosas rádios indoor ou playlists de música ambiente para lojas. 

 

Antes de entregar a trilha sonora, fazemos  todo um estudo para definir qual a melhor música para representar a identidade sonora que fará os clientes lembrarem da marca.

 

Music Branding para Spotify

 

Com o avanço dos serviços de streaming de música e a popularização das playlists dos serviços nestas plataformas, atualmente é possível transcender o espaço físico do PDV e estar em contato com o cliente onde quer que ele esteja através de um canal de relacionamento no Spotify. 

 

As playlists no Spotify da empresa ajudam a difundir ainda mais os atributos da marca, gerando umr maior engajamento e identificação do cliente.

 

Music Branding para Youtube

 

Outra plataforma que permite a utilização de estratégias de music branding é o YouTube, uma das grandes redes sociais e o segundo maior destino das pesquisas feitas na web.

 

Em 2019 planejamos e executamos a estratégia de lançamento do canal da marca Youcom no Youtube. Desde então, juntamente com seu time de marketing e a  agência, somos responsáveis pelas editorias do conteúdo musical em vídeo, que reforça o DNA jovem e antenado da marca de moda.

 

Uma outra possibilidade no YouTube é a criação de playlists em vídeo, unindo abordagens visuais e sonoras para criar uma atmosfera ainda mais sensorial e imersiva e impactando o consumidor pelos dois mais importantes sentidos do ser humano: a visão e audição

 

Music Branding para Marcas Musicais

 

Além disso, é também através da curadoria musical que são propostos projetos maiores de marcas cujo modelo de negócio apresenta um pilar musical, como selos, estúdios ou editais, por exemplo. 

 

Também podem ser proprietárias de festivais e eventos musicais de todos os tipos. Oferecem apoio e patrocínio contínuo a artistas, bandas, DJs e outros. Dizemos aqui no Bananas que essa marca se encontra no nível 4 de envolvimento com a música.

 

Levando a identidade musical para todos os pontos de contato da marca 

 

Talvez o conceito que melhor traduza o Music Branding 360° seja cercado de música por todos os lados.

 

Foi partindo dessa ideia que o nosso time de curadoria planejou e executou uma estratégia completa de music branding para a campanha Melissa POP Be Extra&Ordinary que envolveu criação de playlists para o Spotify da Melissa, trilha sonora especial para todas as lojas, conteúdo de divulgação nas redes sociais e uma ação especial conectando on e offline: Spotify Codes exclusivos nas lojas das playlists criadas para cada um dos 7 modelos.

 

 

O objetivo desse projeto era levar a música para todos os pontos de contato com os fãs da marca a fim de gerar brand awareness e expandir os diálogos em torno da nova coleção - tanto no online quanto nos pontos de venda. 

 

Neste texto, você pode conhecer mais do case e conhecer as sandálias com suas playlists ;)

 

Uma estratégia de music branding passa obrigatoriamente por um estudo de identidade da marca e por curadoria musical especializada. E pode ir muito além de música ambiente para lojas. Pode ser a ferramenta de comunicação da marca com o cliente aonde quer que ele esteja - e não apenas dentro da sua loja.

 

Quer saber como se conectar com seus clientes e criar formas de se relacionar através da música? Você pode nos mandar uma mensagem aqui ou chamar o Guido no telefone (11) 94261.5536.