Marcas no Spotify: 5 cases de empresas que investem em playlists e music branding além do ponto de venda

 

 

Como criar uma playlist no Spotify?

 

Mesmo para quem ainda não tem uma conta no Spotify, o beabá para a criação de uma lista músicas na plataforma de streaming é fácil:

 

Mas criar uma playlist certeira não envolve só isso, você concorda? Em se tratando de marcas, essa questão é ainda mais relevante. Não basta abrir o streaming e coletar uma série de músicas que aparentemente fazem sentido.

 

Além do feeling - algo importante, claro -, é preciso estudo da marca e de seus públicos interno e externo, testes, comparações, análise de mercado e conhecimento aprofundado sobre o vasto universo musical.

 

Essa é a diferença entre uma playlist no Spotify que será ouvida por um cliente ou dois funcionários de uma loja e uma que pode estimular as pessoas mesmo longe dos pontos de contato físicos da marca, impactando em vendas.

 

E um detalhe ainda mais importante para marcas: o uso do Spotify em caráter comercial - ou seja, como player de música em um ponto de venda, por exemplo - é proibido conforme os termos e condições de uso da plataforma. Já a criação de perfis comerciais e playlists para uso pessoal, como os dos cases que mostraremos, são permitidas.

 

O método para criação de uma playlist institucional certeira

 

Todas as ações citadas no parágrafo anterior para a criação de uma playlist no Spotify que seja efetiva, e mais alguns passos, são reunidos pelo Bananas Music Branding no Concept. É a nossa metodologia para conectar a identidade da marca a seu público por meio da música.

 

O Concept reúne uma visão 360º do universo da marca. Com ele em mãos, entregamos aos nossos clientes uma estratégia de music branding muito mais completa do que simplesmente uma trilha de som ambiente.

 

É possível apontar soluções como playlists no Spotify e ainda conteúdo musical para redes sociais, produção de eventos proprietários, relacionamento e ações com artistas, patrocínio de eventos e criação de peças sonoras, como spots e vinhetas.

 

Para isso vamos ver o passo a passo do início do Concept até chegarmos à playlist?

 

Pesquisa musical é diferente de curadoria musical

 

Apesar de a maioria das pessoas entenderem curadoria e pesquisa musical como sinônimos, as duas têm grandes diferenças. A pesquisa musical é realizada diariamente, independentemente de existir um cliente em mente, buscando conhecer sempre mais sobre diferentes aspectos da música. Já a curadoria é o direcionamento de todo esse conhecimento adquirido para criação de soluções em music branding com uma marca e objetivo específicos.

 

Pesquisa com as áreas de marketing e vendas

 

Para criar playlists que atendam plenamente às marcas, tudo começa por uma fase de pesquisa, onde conversamos com o time de marketing e de vendas. Nesse momento, em geral, colhemos muitos insights com quem faz o atendimento ao público.

 

Se possível, organizamos também uma conversa com clientes da marca. Isso nos dá mais informações sobre seus gostos e hábitos além do ponto de venda - mostrando outras situações onde o music branding pode ser utilizado.

 

Diagrama de Afinidades

 

As ideias, relatos e informações gerais colhidas até esse momento são agrupadas no Diagrama de Afinidades. Os temas trabalhados são agrupados conforme afinidade, similaridade, dependência ou proximidade.

 

Mood Maps

 

Aqui, temos mais três formatos para distribuir o conteúdo obtido e, assim, compreender melhor o contexto da marca e seu público. São eles: Miller Mood Map, Equilibrium Mood Map e Estéticas Sonoras Predominantes.

 

As duas primeiras matrizes tratam de energia e humor, no caso da primeira, e tempo e popularidade na segunda. O terceiro mapa, por fim, terá pelo menos quatro estéticas musicais predominantes na identidade sonora da marca.

 

Enfim, a lista de músicas

 

Com toda essa informação catalogada, reuniões e apresentações com a devida aprovação do cliente, temos a base para reunir as faixas de uma playlist no Spotify! :)

 

Case #1: Youcom

 

A Youcom nasceu em 2014, e o Bananas Music Branding foi parceiro na definição de identidade musical da marca já em seu início. Foi possível vislumbrar o potencial de expressão da marca por meio da música durante o desenvolvimento do Concept.

 

Passamos a abordar a música como tema nas redes sociais e no blog, visando o reforço de comunicação com o público jovem. E, assim, naturalmente chegamos até a criação de conteúdo para streaming.

 

Playlists da Youcom no Spotify

 

O Bananas foi responsável por levar a identidade musical da Youcom para a plataforma de streaming, acompanhando os clientes da marca para além dos pontos de vendas espalhados pelo país.

Durante o Concept, chegamos às características desse público: jovens, conectados e antenados, consumidores de música. Isso mostrou a importância da presença de marca ser legítima e relevante, e a immportância da curadoria especializada do Bananas.

 

O canal exclusivo e as playlists no Spotify representam diferentes perfis e momentos do público, onde a conexão é viabilizada pelos conteúdos que refletem valores da marca: antenada, democrática e descontraída.

 

 

O êxito em criar boas coleções musicais no Spotify fez com que, em 2019, ficássemos responsáveis pela estratégia de music content da Youcom também no Youtube, a partir de seu lançamento.

 

Case #2: Iguatemi Porto Alegre

 

Referência em inovação e contemporaneidade, além de fazer parte da história recente da capital gaúcha: assim pode ser definido o Shopping Iguatemi Porto Alegre, com seus mais de 35 anos de existência.

 

As ações de music branding da marca começaram a ser desenvolvidas de forma organizada em 2015, quando o projeto com o Bananas teve início. A ideia era clara: substituir uma rádio indoor que não comunicava o DNA da marca.

 

Com a aplicação do Concept, foram criadas playlists para a rádio indoor do Iguatemi  baseadas em moods que traduzissem a essência da marca: atual, vibrante e jovem. Foram, assim, quatro anos de amadurecimento do branding musical do shopping e relevante fluxo de mídia espontânea nas redes sociais.

 

Em 2019, a estética sonora acompanhou a mudança de posicionamento da marca. O bem estar e o equilíbrio passaram a ser o mote central, influenciando no lançamento do canal e playlists no Spotify.

 

Coleções musicais do Iguatemi Porto Alegre

 

Com o reposicionamento, a possibilidade de ir além nas ações de music branding ficou evidente. Assim, criamos o canal da marca no Spotify, levando a experiência de bem estar vivida no shopping para todos os momentos de seus visitantes.

 

Confira abaixo uma das playlists que traduzem a essência da trilha sonora do Shopping Iguatemi Porto Alegre:

 

 

 

Case #3: Aeroporto Internacional Tom Jobim - RIOgaleão

 

A música de locais onde a espera é comum, como aeroportos e consultórios, muitas vezes pode ser vista como chata e genérica. Foi buscando superar essa ideia que organizamos e executamos a estratégia de music branding do Aeroporto Internacional Tom Jobim - RIOgaleão.

 

Utilizar a música como meio de criação de laços verdadeiros era o objetivo visível desde o Concept. Isso deveria tomar forma no ambiente do aeroporto, com a trilha sonora, mas também fora dele, por meio do Spotify.

 

O Brasil e suas diferentes expressões musicais tomaram conta das coleções do RIOgaleão, trazendo alegria e encantamento para gringos e brasileiros. Trilhas de novelas, clássicos e novidades podem ser ouvidas nos alto-falantes do espaço e nos fones de ouvido, por meio do Spotify.

 

Pra gringo e brasileiro ouvir: playlists do RIOgaleão

 

A presença do aeroporto na plataforma de streaming musical tem tudo para acompanhar viajantes antes, durante e depois de sua experiência de viagem.

 

As playlists são usadas tanto para reforçar o DNA do RIOGaleão quanto para apresentar eventos e datas especiais apoiadas pela empresa.

 

 

Case 4: Veloe

 

Veloe foi criado para oferecer uma nova experiência de pagamento para mobilidade urbana - seja em pedágios, shoppings ou estacionamentos. Com o Veloe Tag no parabrisas do veículo pessoas rodam livres, sem necessidade de filas ou de contar moedas.

 

A empresa trouxe um dos desafios mais recentes ao Bananas Music Branding: mostrar por meio das ações que o branding musical possibilita, como as playlists no Spotify, os valores da marca. Ou seja, o uso do tempo com o que realmente importa.

 

Pé na estrada, playlist no Spotify dando o ritmo

 

Seja qual for o momento em que o usuário de Veloe esteja, pode encontrar uma entre as playlists preparadas no Spotify para acompanhá-lo transitando livre por aí, sem complicação.

 

Viajandocom os amigos, para voltar do trabalho. Para relembrar os heróis do cinema ou para pegar a estrada em busca de uma viagem inesquecível, tem uma seleção de músicas esperando:

 

 

Case 5: Raw Burger

 

Burgers e snacks de verdade, para serem comidos com as mãos. Onde a combinação pão, carne e queijo tem a sua essência preservada ao máximo. Tudo isso com seleção de shots, doses, drinks e cervejas escolhidos cuidadosamente a fim de garantir harmonização e experiência perfeitas. Isso resume o DNA de outro dos novos clientes do Bananas Music Branding, o Raw Burger, de São Paulo.

 

Fundado em 2015, o Raw tem como proposta o resgate da essência das hamburguerias originais, sem rodeios e com os clientes lambuzando as mãos. Isso é transmitido pela estética do ambiente, com elementos rústicos e industriais, pela apresentação dos pratos e pelo serviço.

 

O branding sonoro não poderia ser diferente: curto e grosso, direto ao ponto. Respeitando as carnes (ou as opções vegetarianas) saborosas, os drinks originais e cuidadosamente preparados. Mas sem cair em clichês.

 

Trilha sonora para comer e beber com vontade

 

Trouxemos para o Raw duas playlists que carregam o seu conceito nuclear: a crueza, a rusticidade. No entanto, enquanto uma é mais orgânica, trazendo ritmos como soul e grooves com levada mais cool, a segunda abre mais a sonoridade para timbres e arranjos eletrônicos.

 

Uma com Sharon Jones & The Dap-Kings, outra com Massive Attack. 

Uma COME HUNGRY, outra LEAVE DRUNK.

 

 

Rapidão, antes de a gente terminar: você viu até aqui como marcas podem aproveitar as playlists como mais uma ferramenta de comunicação com seu público. Mas, depois de criá-las, não dá para pecar na divulgação desse conteúdo. E também podemos dar boas dicas nesse quesito, é só olhar outro texto aqui no nosso blog.

 

Cases de playlists no Spotify como esses mostram como o music branding é fundamental para consolidar uma estratégia de marketing completa. Querendo saber mais sobre o Concept e como podemos ajudar a sua marca? Entre em contato :)